Terça-feira, 7 de dezembro de 2021
informe o texto

Notícias / Pinga Fogo

Jornada dupla: deputado vendedor de curso online

03 Nov 2021 - 11:31 - Atualizada em 03 Nov 2021 - 11:44

FOLHA360

Jornada dupla: deputado vendedor de curso online

Foto: Marcos Lopes/ALMT

O deputado estadual Ulysses Moraes (PSL), de 31 anos, além da atividade parlamentar para a qual foi eleito em 2018, decidiu atuar como vendedor de curso online. 

Em uma publicidade patrocinada no Instagram, Ulysses aparece como “case de sucesso” para as pessoas que buscam entrar para política, utilizando como o principal instrumento: um smartphone.

“Fui eleito deputado estadual utilizando apenas este aparelho, que, com alguns cliques, a gente consegue fazer coisas inimagináveis”, diz o deputado em vídeo marketing viral. 

Ao clicar no link, a pessoa é direcionada para uma página de captura, com um vídeo do deputado e do seu parceiro de negócio. Lá eles passam mais informações sobre o curso, que promete ensinar edição de vídeos e fotos utilizando o celular. 

Em seu perfil postado no site, Ulysses se apresenta como “um perfil da nova política que é capaz de trazer eficiência para máquina pública.” Se diz um deputado fiscalizador que conta com o apoio do celular e das redes sociais para alcançar resultados. 

A atuação extra-parlamento de um deputado, em princípio, não é proibida, segundo especialistas ouvidos. A legislação permite, por exemplo, professores e profissionais da saúde atuarem fora do horário de experiente. 

O que causa surpresa é o deputado encontrar tempo para se engajar em um projeto pessoal novo, com tantas demandas sociais que são apresentadas pela sociedade. 

Na Câmara Federal, ocorrem situações de parlamentares estarem atuando em profissões diversas, como médicos e outras áreas. Mas isso tem despertado o interesse do Tribunal de Contas da União (TCU) que está de olho nesse tipo de atuação.

Segundo informações da Câmara Federal, existe em tramitação o Projeto de Lei 5371/20 que prevê a perda do mandato parlamentar em decorrência do exercício de cargos ou funções estranhos ao Poder Legislativo. 

A regra valerá, caso aprovada, para senadores, deputados (federais, estaduais e distritais) e vereadores. A proposta se estenderia, até mesmo, para deputados que ocupam cargos no executivo.

O Folha360 esta com espaço aberto ao deputado, caso queira, se manifestar sobre o assunto. 

Veja o vídeo que circula nas redes sociais

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet