Segunda-feira, 21 de setembro de 2020
informe o texto

Notícias / Pinga Fogo

Sem volta às aulas presenciais, escolas de Cuiabá obrigam crianças a 800 horas no computador

03 Ago 2020 - 11:47 - Atualizada em 03 Ago 2020 - 12:10

Da Redação

Sem volta às aulas presenciais, escolas de Cuiabá obrigam crianças a 800 horas no computador

Foto: Reprodução web

No auge da pandemia em Cuiabá e sem nenhuma previsão de retomada das aulas presenciais, as escolas particulares têm decidido que os alunos (crianças e adolescentes) deverão cumprir às 800 horas aulas em frente ao computador. Isso mesmo, online! 

Nesta segunda-feira (3), estava previsto o retorno as aulas presenciais, mas a medida foi suspensa devido ao avanço da Covid na capital e em todo estado de Mato Grosso. Diante disso, parte das escolas particulares decidiu aumentar a carga horária online dos alunos. 

A idéia é cumprir a carga horária de 800 horas, e finalizar o calendário letivo ainda neste ano. Os pais não aprovaram a medida, que foi considerada exagerada e com poucos resultados práticos na vida dos estudantes, que já não estao tendo resultados satisfatórios nas aulas online, segundo pais ouvidos pela coluna Pinga-Fogo do portal Folha360.

Ao Folha360, uma mãe empreendedora, que está trabalhando em home office e cuidando da casa sozinha, disse que ficou surpresa ao saber que agora terá que dedicar mais de 5 horas por dia a acompanhar o filho de 7 anos nas atividades online.

“Antes eram três aulas, agora dobrou o total de disciplinas e também a carga horária. Entendemos a situação de calamidade pública, porém aplicar uma carga horária online dessa em crianças vai ser muito improdutivo. Crianças e nem adultos conseguem manter a concentração por tão longo tempo”, disse a mãe, preocupada com os resultados da aprendizagem do seu filho. Outros pais tiveram opinião semelhante.         

Pais na bronca

Os pais nao defendem o retorno das aulas devido ao perigo de contagio pela Covid. Mas não concordam com o repasse de "100% da carga horária" da sala de aula para a plataforma online. 

O cenário é de total incerteza!  Atualmente, nem o governador Mauro Mendes (DEM), que está hospitalizado em São Paulo, e nem o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), arriscam-se em uma data certa para retomada das aulas. Porque o risco de contágio é muito alto. 

O motivo é simples: as UTIs estão lotadas e a volta às aulas poderia contribuir com o colapso do sistema de saúde, na medida em que os mais jovens poderiam ficar doentes ou passar o vírus aos pais, avós e familiares próximos.

Medida provisória 

No dia 1º de abril deste ano, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Medida Provisória (MP) 934/2020, segundo a qual, diante da situação de calamidade pública por qual passa o país, todas as redes de educação básica ficam desobrigadas de cumprir o mínimo de 200 dias de efetivo trabalho escolar, desde que cumprida a carga horária mínima anual de 800 horas ou a estabelecida pelos respectivos sistemas de ensino.

Sem dúvida, este é o ano mais difícil para educação brasileira! Enquanto isso, a Pandemia não dá sinais que irá acabar tão logo...

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Adriana Lopes de Andrade 03 Ago 2020 - 12:14

    Na minha opinião poderia voltar as aulas presenciais Porque não vai na escola mas os pais levam crianças no parque. Porque na escola além de estarem aprendendo vai estar sendo monitorado . E não indo na escola os pais levam nos parques pra andar de bicicleta patinete empinar pipa. Então o que adianta não ir na escola?

 
Sitevip Internet