Sábado, 8 de agosto de 2020
informe o texto

Notícias / Política

Relatório final da CPI do Paletó que pode afastar Emanuel será apresentado nesta sexta

09 Jul 2020 - 10:06

Betell Fontes | Da Redação

Relatório final da CPI do Paletó que pode afastar Emanuel será apresentado nesta sexta

Foto: Reprodução

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI do Paletó), da Câmara de Cuiabá, vão apresentar o relatório final que investiga o suposto recebimento de propina por parte do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), enquanto ele era deputado estadual, nesta sexta-feira (10), quando se encerra oficialmente o prazo de 120 dias de trabalho da comissão.

Na ocasião, o vereador Toninho de Souza (PSD), relator da comissão, vai apresentar o relatório final aos demais membros: vereadores Marcelo Bussiki (DEM), presidente e propositor da CPI do Paletó no ano de 2017, e Sargento Joelson (SD).

A reportagem do Folha360 apurou que os vereadores Marcelo Bussiki (PSB), presidente da CPI e Sargento Joelson (PSC), membro da comissão, já estão articulando aprovar um relatório alternativo, caso o processo que tem como relator, vereador Toninho de Souza (PSD), venha favorável a defesa do prefeito Emanuel Pinheiro.

O relatório pode ou não apontar pela responsabilização de Emanuel Pinheiro, flagrado em vídeo recebendo maços de dinheiro e os colocando no paletó na época em que era deputado estadual. 

Em caso de responsabilização, o relatório pode sugerir o afastamento do prefeito e a abertura de uma Comissão Processante no Legislativo, que pode cassar o mandato de Emanuel.

De acordo com o vereador Marcelo Bussiki, o relatório final deve considerar todos os documentos recebidos ao longo do trabalho da CPI, inclusive o vídeo do paletó, bem como as oitivas já realizadas.  

Foram ouvidos o ex-governador Silval Barbosa, seu ex-chefe de gabinete, Sílvio Corrêa, o ex-deputado José Riva, o servidor Valdecir Cardoso e o perito judicial Alexandre Perez.

Já o irmão do prefeito, Marco Polo Pinheiro, conhecido como Popó, chegou a ser convocado para depor à comissão, pois Emanuel alegou que o dinheiro recebido era para pagamento de dívidas do irmão. No entanto, Popó se negou a comparecer sob o argumento de que um irmão não poderia depor contra outro.

“Esperamos que o relatório considere o que o ex-governador Silval Barbosa afirmou e o que Silvio Corrêa confirmou, de que se tratava de dinheiro de propina que Emanuel Pinheiro recebeu para apoiar os projetos do Executivo quando era deputado. Isso é um fato comprovado em vídeo, respaldado pela fala de duas pessoas chaves no referido esquema e que, oficialmente e diante dessa CPI, não foi negado pelo prefeito Emanuel Pinheiro. Não há como esse relatório seguir por outro caminho senão esse, que é claro para todos os cuiabanos”, disse Bussiki.

Apesar disso, os vereadores Bussiki e Joelson estão elaborando um relatório paralelo em conjunto, a fim de demonstrar que o prefeito Emanuel Pinheiro cometeu infrações político-administrativo, além de comprovar que ele atuou de modo incompatível com a dignidade do cargo que ocupa.

“Independente do trabalho executado pelo vereador Toninho de Souza, resolvemos fazer nosso relatório paralelo para assegurar que todos os pontos da CPI não ficarão de fora do relatório. Caso o relatório apresentado por Toninho seja elaborado desta maneira, nem apresentamos nosso documento. Mas não podemos, depois de tantos anos de trabalho, correr o risco de ficar à mercê de um relatório incompleto”, afirmou Bussiki.

Neste caso, os dois relatórios serão colocados à votação dos três membros da CPI ainda na sexta-feira e aquele que for aprovado por maioria será encaminhado ao presidente da Câmara, vereador Misael Galvão, que deve colocar à votação dos demais parlamentares em sessão plenária.

“Essa votação no plenário pode culminar em um pedido de abertura de uma comissão processante para afastar Emanuel Pinheiro. Talvez possa parecer que este não é o momento para esse tipo de discussão, em razão da pandemia, mas entendo que se nos omitirmos agora estaremos apoiando a corrupção na sua forma mais cruel: a que acontece diante de nossos olhos”, encerrou Bussiki.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet